quinta-feira, 2 de setembro de 2010

O Silêncio É Semente

Eu procuro uma canção
dentro de mim,
Mas nada vem. Estou mudo.
Este silêncio é cortante, pontudo;
Dele nascerá um jardim.

Desta semente silenciosa
Brotarão botões de rosa
Pousarão mil borboletas
Pretas, azuis, violetas.

Neste canteiro, um girassol,
Ervas de cheiro, um pôr de sol;
O mundo inteiro
Pára pra ouvir o rouxinol
Cantar certeiro
Em sustenido e bemol.

(Silvestre Kuhlmann)


Que delícia de poema do meu amigo Sil. Junto com a Gláu, ele é um dos poetas-compositores mais inspirados que tenho lido nos últimos anos. Quando não sei o que dizer, eles já disseram por mim :-)

2 comentários:

J.F.AGUIAR disse...

Eu passei por aqui para observar as poesias...por elas deixo meu
apreço... Os poetas nos fazem sonhar.

Joselito Nascimento Otílio disse...

Quanta beleza num poema tão simples. Verdades expressadas do fundo da alma... Lindo demais! Comentei seu poema sobre o tempo no blog... Poesia Evangélica. Caso queria visitar meu blog será bem vinda... Bjão!
http://joselitootilio.blogspot.com/